Cabelo saudável – veja como fazer para conquistar o seu

Cabelo saudável não é a mesma coisa que cabelo bonito – já pensou nisso?

Parece besteira, mas nem todo cabelo bonito é saudável, enquanto isso: todo cabelo saudável é bonito! E, melhor ainda, além da beleza, o cabelo saudável apresenta força, e está livre de problemas como queda, ponta dupla ou quebradiça, etc. E isso não é sonho! Veja como fazer para ter um cabelo saudável – e bonito!

1. Lavar direito

Nem todo mundo sabe, mas a lavagem dos fios e do couro cabeludo é uma das etapas mais importantes no cuidado com os cabelos. Especialmente hoje em dia, onde se usa produtos mim, como creme para pentear, leave-in para proteger do secador, spray de brilho, etc. É muito comum acumular resíduos e é importantíssimo eliminá-los. Mas não só isso: é essencial saber aplicar o shampoo (só na raiz) e o condicionador (só nas pontas). E enxaguar bem, mesmo!

2. Escolher o shampoo certo

O senso comum é de que o condicionador é mais importante, mas não! Tanto o shampoo quanto o condicionador são fundamentais – para todos os tipos de cabelo! No caso do shampoo, é recomendado escolher aquele que tenha o nível de limpeza adequado ao grau de oleosidade do seu fio e do couro cabeludo. Melhor que isso é optar por uma formulação sem Sulfato, ingrediente responsável pela limpeza além do que seria “natural” e saudável. Produtos com sulfato podem ressecar demais os fios, causar alergias no couro e ainda trazer um efeito rebote – retirando a oleosidade em excesso e, por conta disso, fazendo o corpo entender que precisa produzir mais óleo!

3. Hidratar, nutrir…

A dica é também apostar em um condicionador ideal para você. Hoje em dia no mercado existem marcas que personalizam o seu produto, tanto o shampoo quanto o condicionador! Este último ainda pode ter dupla função: funcionar tanto como condicionador diário quanto como uma máscara de hidratação leve! Precisando de uma hidratação além, basta apostar na aplicação de uma máscara mais forte toda semana.

4. Entender do que seu cabelo precisa

Se os fios precisam de estrutura, é melhor escolher fórmulas com queratina ou aminoácidos. Para checar se é o caso dos seus, molhe uma mecha fina, segure com as mãos, estique e então afrouxe a tensão. Se ela não retornar rapidamente à forma original, está precisando de ativos reconstrutores. Se eles estão muito ressecados (e isso é perceptível num simples toque), a dica é apostar em óleos vegetais, como o de coco ou o de girassol. Caso você saiba o que precisa, mas não saiba onde encontrar, mais uma vez a dica é personalizar seu shampoo e seu condicionador: já existe uma marca brasileira que faz isso depois que você preenche um formulário rápido!

5. Corte, sempre

Acertar o corte a cada dois meses é regra… E não se preocupe se o seu objetivo é deixar crescer. Aumente mais um mês na conta e, a cada três meses, tire 1 cm do fio – é o suficiente. Conquistar um cabelo saudável e bonito exige disciplina com cuidados diários, bimestrais, etc.

 

6. Atenção com a temperatura

Na lavagem, esteja atenta à temperatura da água. Ela deve ser morna ou fria – esta última é uma aliada na ativação da circulação, auxiliando na irrigação dos capilares. E, lembre-se, evite sempre água quente, pois retira a oleosidade natural, a camada protetora e resseca os fios. Na hora de secar, a dica é a mesma; procure não escolher a temperatura mais quente. No verão, preste atenção ainda à exposição do fio ao sol, usando produtos adequados para isso, chapéu e muita água sem sal e sem cloro para compensar os danos da praia e da piscina.

 

7. Cuidado com o sol!

Pois é, o sol é um grande vilão para a saúde do seu cabelo. A radiação solar é muito maléfica para os fios: eles também sofrem com o fotoenvelhecimento, não só sua pele. Ou seja, os fios envelhecem com exposição solar excessiva. Os cabelos, portanto, não podem ficar expostos durante muito tempo às ações do sol porque isso vai gerar ressecamento e enfraquecimento das fibras, provocados principalmente pela perda de proteínas. A radiação UVB é a principal responsável pela perda protéica enquanto a UVA a que mais influencia na mudança da cor dos cabelos, em especial, os loiros. Juntamente com água salgada, cloro e vento, todos estes são fatores externos atingem diretamente a elasticidade, hidratação, resistência, brilho e coloração. É preciso estar atento ainda com a parte interna (o bulbo, a medula, entre outros), pois o que fica exposto – fibra capilar – é constituído de uma estrutura chamada queratina e os danos e fraturas que se causam a essa estrutura muitas vezes são irreparáveis. A solução é proteger os fios, sendo recomendado usar diariamente filtro solar capilar. E, na praia ou piscina a cada mergulho é necessário aplicá-lo novamente.

 

8. Não durma com fios molhados

O couro cabeludo leva cerca de 12 horas para secar totalmente, não esqueça disso nunca. E saiba que, durante o sono, o metabolismo diminui, fazendo com que os fios demorem ainda mais tempo para secar. Ou seja. dormir de cabelo molhado não só deixa fios marcados e sem forma no dia seguinte, como prejudicam demais a saúde dos mesmos! Não faça isso nem de vez em quando.

9. Evite o excesso de produtos químicos

Escovas progressivas, tinturas, luzes, alisamentos, estes e outros procedimentos afetam as estruturas das fibras capilares, desde o interior até a superfície. O problema acarreta ressecamento, quebra e rigidez da fibra capilar. Como saber se o seu cabelo está sofrendo? Se ele estiver pesado, opaco, danificado e sem brilho, já sabe a resposta!

Relaxamentos, escovas químicas e alisamentos removem os lipídeos, cutículas e outros elementos. Sem falar que podem causar queimaduras, queda, entre outros males. Há ainda o desgaste da fibra capilar, mesmo que em baixas concentrações. Por isso, é recomendado o espaçamento entre os procedimentos. No caso das colorações, um dos principais causadores é o peróxido de hidrogênio, ou seja, a água oxigenada, que facilita a perda do enxofre e o dano na fibra capilar. Para quem é adepta da coloração frequente ou tratamentos químicos, a dica é optar por fazer o procedimento gradualmente, com utilização do peróxido de hidrogênio de percentuais mais baixos. Hidratações freqüentes também ajudam a evitar a perda de proteínas, aminoácidos e evitar a rigidez da fibra.

10. Elimine o estresse

O estresse é o grande responsável pelo aumento do hormônio cortisol, hormônio que afeta diretamente o aparelho pilo-sebáceo, inibindo a proliferação de novos fios. Isso pode deixar o couro cabeludo mais oleoso, com dermatite seborréica e ainda causar queda temporária ou perda dos cabelos definitiva. Altos níveis de estresse contribuem ainda para problemas como caspa e embranquecimento dos fios (canície). A psoríase do couro cabeludo também é agravada por este inimigo da saúde.

Gostou do artigo?

Deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar em suas redes sociais.

 

Não deixe de ler – 8 estilos de cortes de cabelo feminino para se inspirar

Comentários
Compartilhe:
error